Mercado Brasileiro de Energia Elétrica

Visão Geral do Setor

A Equatorial Energia ("Companhia") é uma sociedade holding que tem como principal estratégia expandir sua operação de distribuição ou geração de energia no Brasil e na América Latina, por meio da aquisição do controle, independente ou compartilhado, de empresas do setor elétrico.

A capacidade total de geração de energia instalada no Brasil em dezembro de 2013, de acordo com a ANEEL, era de 126,8 GW, gerados por fontes conforme o gráfico abaixo:

Aproximadamente 35,0% da capacidade instalada de geração de energia dentro do Brasil é atualmente de propriedade da Eletrobrás, empresa controlada pelo Governo Federal. Por meio de suas subsidiarias, a Eletrobrás é responsável também por 52,0% do total das linhas de transmissão do Brasil. Além disso, alguns Estados brasileiros controlam empresas envolvidas na geração, transmissão e distribuição de energia.

O consumo de energia total no Brasil registrou um aumento de 3,5% em 2013 comparado a 2012, atingindo 463.700 GWh.

O uso de energia por classe, ao fim do último trimestre de 2013, está demonstrado no gráfico abaixo.

Área de Atuação

Analisando o segmento de distribuição por regiões, percebemos grandes diferenças:

A Região Norte representa um total de 5,3% do PIB nacional e 8% da população nacional. O mercado de distribuição de energia elétrica para estas regiões possui uma grande presença estatal, com 4 distribuidoras controladas pela Eletrobrás e uma controlada por seu governo estadual. O único grupo privado a atuar na região é o Rede Energia, cuja distribuidora cobre o estado do Tocantins. Esta região representou 6,5% da energia consumida no país em 2013.

Através da CELPA (Centrais Elétricas do Pará), é atendido o estado do Pará em sua totalidade. Com um total de 2,0 milhões de clientes, a CELPA distribuiu em 2013 o equivalente a 1,6% da energia consumida em todo o país.

A Região Nordeste é responsável por 13,5% do PIB nacional e possui 28% da população do país. Esta região possui presença estatal com 2 distribuidoras controladas da Eletrobrás, além de grupos privados como a Equatorial Energia (através da CEMAR), Energisa, Neoenergia e Endesa. Esta região foi responsável por 17,2% do consumo de energia no país em 2013.

Através da CEMAR (Companhia Energética do Maranhão), é atendido o estado do Maranhão em sua totalidade. Com um total de 2,1 milhões de clientes, a CEMAR distribuiu em 2013 o equivalente a 1,1% da energia consumida em todo o país.

A região Centro-Oeste é responsável por 9,3% do PIB nacional assim como 7% da população no país. Esta região conta com duas distribuidoras controladas por seus governos estaduais, a CELG (Goiás) e CEB (Brasília) além de grande presença do grupo Rede Energia no setor privado. A região consumiu, em 2013, 7,1% da energia consumida no país.

A Região Sul representa um total de 16,5% do PIB nacional e 15% da população. Nesta região vemos a presença de duas grandes empresas controladas por seus respectivos governos estaduais, a Copel (Paraná) e a Celesc (Santa Catarina). Além desta, temos a presença, em menor escala, dos grupos CPFL, AES e Rede Energia. A Região Sul foi responsável, em 2013, por 17,4% total de energia consumida no país.

Por ultimo, a Região Sudeste apresenta a maior participação no PIB e na população nacional (55,4% e 42% respectivamente). Esta região possui uma grande estatal no setor elétrico, a CEMIG (Minas Gerais), também controladora da Light (Rio de Janeiro) além de grandes grupos privados, AES, CPFL, Energias do Brasil, Endesa, entre outros. O total de energia consumido por esta região em 2013 representou 51,8% do total nacional.

Já o segmento de geração, atualmente, tem em seu principal player a Eletrobrás, responsável pela geração de 35,0% da energia nacional. Logo em seguida vemos a CESP e a CEMIG, controladas por governos estaduais, com 6,2% e 5,7% da energia gerada no último ano, respectivamente.

Por último, a transmissão de energia no país também é dominada por empresas públicas, representando 87% das linhas de transmissão nacionais. A Eletrobrás novamente prevalece, com 55% do market share, seguida por CTEEP e CEMIG, com 12,1% e 6,7% respectivamente.

Rede de Distribuição

As linhas da CEMAR distribuem energia elétrica, em diferentes níveis de tensão, a partir do ponto de conexão com a rede básica para as subestações de energia. Quaisquer consumidores livres serão conectados às linhas de distribuição e estarão obrigados a pagar uma taxa de uso do sistema de distribuição - TUSD.

Em 31 de dezembro de 2013, as linhas de baixa e média tensões tinham uma extensão de cerca de 119.517 km, com uma potência instalada de 2.399 MVA, distribuídas em 122 subestações. Nesta mesma data, a rede de distribuição da CEMAR incluía 103.043 transformadores de distribuição. A distribuição para os consumidores é feita de acordo com uma classificação por nível de tensão, com base na energia elétrica consumida. Grandes consumidores industriais e comerciais recebem energia elétrica em níveis de tensão elevados (até 69 kV), enquanto consumidores industriais, comerciais menores e consumidores residenciais recebem energia elétrica em níveis de tensão mais baixos (15 kV e abaixo).

Em 31 de dezembro de 2013, as linhas de baixa e média tensões de CELPA tinham uma extensão de cerca de 112.760 km, com uma potência instalada de 2.795 MVA, distribuídas em 94 subestações. Nesta mesma data, a rede de distribuição da CELPA incluía 133.948 transformadores de distribuição.

Compra de Energia

A Equatorial Energia não gera a energia que vende. A tabela a seguir resume a quantidade total de energia elétrica que a Companhia obtinha contratada nos períodos indicados.

CEMAR - Último Exercício Social - 31 de dezembro de 2013
2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Energia Comprada (GWh) 4.280 4.521 4.712 4.776 5.642 5.919 6.272 6.131
Custo Médio (R$/MWh) 60,82 67,9 73,7 78,3 85,1 88,7 102,3 102,0
CELPA - Último Exercício Social - 31 de dezembro de 2013
2011 2012 2013
Energia Comprada (GWh) 9.505 9.875 9.742
Custo Médio (R$/MWh) 96,6 109,8 120,5

Indicadores de Qualidade

O nível de qualidade e eficiência do sistema de distribuição da CEMAR, controlada da Equatorial Energia, é demonstrado pelos índices de DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora, que mede a duração média das interrupções, em horas por consumidor por ano) e FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora, que mede a freqüência das interrupções, em número de interrupções por consumidor por ano). As metas de DEC e FEC a serem observadas pelas concessionárias são definidas pela ANEEL e publicadas na conta de cada consumidor.

CEMAR
Ano DEC FEC
2006 42,6 24,6
2007 28,7 19,8
2008 27,3 16,8
2009 23,6 15,2
2010 21,5 14,0
2011 21,4 11,6
2012 21,7 11,0
2013 18,9 10,9

A Equatorial Energia acredita que essa evolução dos índices de qualidade em 2013 pode ser atribuída ao aumento no processo de automação, além de outras medidas de gestão, tais como investimentos no sistema de transmissão e distribuição (construção e automação de novas linhas e subestações), implantação de novos sistemas de gerenciamento informatizados e investimentos na manutenção corretiva do sistema.

CELPA
Ano DEC FEC
2011 99,7 55,5
2012 101,6 50,9
2013 73,5 38,0